Arquivos do Blog

Licenciando o SQL Server 2012 – Part II

Galera, bora dar sequência a nossa série sobre como licenciar o SQL Server 2012:

Agora que a gente já sabe quais serão as edições comercializadas na nova versão, vamos entender o modelo de licenciamento:

O SQL Server 2012 será licenciado através de dois modelos: 

  • SERVER/CAL:

Dentro desse modelo, você licencia o servidor e a quantidade de usuários ou dispositivos que vão acessar o ambiente, ou seja, uma licença de Servidor para o Servidor e uma CAL para cada dispositivo (CAL por Dispositivo) e/ou usuário (CAL de Usuário) que acessar ou usar os serviços ou funcionalidades do SQL Server ou qualquer um de seus componentes (por exemplo, o SQL Reporting Services).

Exemplo: Para um servidor hospedando uma aplicação que será acessada por 30 usuários, vc deverá adquirir uma licença para o servidor e mais 30 calls de acesso, uma para cada usuário, independente da quantidade de interfaces que houver entre o banco e o usuário final, quando estiver utilizando este modelo.

  • CORE:

Neste modelo você deverá licenciar todos os núcleos(core) de todos os processadores físicos do servidor, considerando a regra de no mínimo 4 licenças de core para cada processador físico.

 Exemplo:

Veja a imagem a seguir:

Na primeira parte da figura acima, temos dois processadores físicos um composto por apenas um núcleo(core) e outro composto por dois núcleos(cores).

 Considerando a regra de que para cada processador físico é exigido no mínimo 4 licenças por núcleo, mesmo que o processador tenha menos que 4 núcleos a quantidade mínima a ser requerida são 4 por processador.

Portanto, para o processador físico composto de um núcleo será necessária a aquisição de 4 licenças por Núcleo, o mesmo acontece para o segundo processador que é composto por dois núcleos, tb será necessária a aquisição de 4 licenças por núcleo.

Na segunda parte da figura, temos processadores mais parrudos, com quantidade de núcleos igual ou maior que 4.

O primeiro processador físico é composto por 4 núcleos(cores) considerando que a regra mínima é de 4 licenças por núcleo para cada processador físico e que este a ser analisado possui 4 núcleos, logo a quantidade mínima requerida atenderá o licenciamento deste processador.

Já no processador físico composto por 6 núcleos será necessário a aquisição de 6 licenças por núcleo, lembre-se aqui estamos considerando a regra de no mínimo quatro licenças por núcleo para cada processador físico, logo o calculo fica = as 4 mínimas que são requisitadas mais 2 uma para cada núcleo do processador totalizando assim as 6 licenças por núcleo.

O mesmo acontece para o processador físico composto por oito núcleos, seguindo a regra de no mínimo 4 licenças por núcleo para cada processador físico, calculamos: as 4 minimas mais uma para cada núcleo restante, totalizando assim 8 licenças por núcleo(core) para licenciar este processador físico.

Galera, até aqui está mamão com açucar certo 🙂 a gente já sabe quais são as edições do SQL Server 2012 e os seus respectivos modelos de licenciamento, no próximo post vou explicar quais edições podem ser licenciadas dentro de cada um destes modelos e como será o licenciamento para ambientes virtuais. 🙂

Bom resto de carnaval e até o próximo.

Abs

Anúncios

Licenciando o SQL Server 2012 – Part I

Olá pessoal, boa tarde!

Muitos de vcs estão curtindo o carnaval maravilhoso do Brasil e eu rsrsrs resolvi fazer uma pausa pra falar de um tema que esta chegando com tudo no lançamento do SQL Server 2012 o licenciamento.  🙂

Recentemente eu fiz uma série de posts aqui no meu blog falando do licenciamento do SQL Server 2008 R2, porém agora bora focar no SQL Server 2012 por que muita coisa mudou, mas foi para facilitar 🙂

Antes de mais nada vou fazer um rápido overview das grandes novidades do SQL Server 2012, o que consequêntemente vai facilitar nosso entendimento para o novo modelo de licenciamento:

O SQL Server 2012 é muito mais do que um SGBD (sistema de gerenciamento de banco de dados) hoje ele é uma plataforma de dados e informação pronta!!!

E vc deve estar se perguntando, pronta para o que?
Resposta: Para trabalhar nos seus termos, ou melhor, nos termos do seu negócio.

Com isso o SQL Server 2012 traz três principais pilares: 

  • Missão Crítica:
    Provando a robustez do SQL Server para trabalhar em ambientes de missão crítica, considerando performance , alta disponibilidade e segurança umas das principais inovações são: AlwaysOn e ColumnStore Index.
  • Breakthrough Insight:
    Inovando com uma solução de BI que é para todos dentro da organização e permitindo através de poderosas ferramentas o acesso aos dados em qualquer lugas a qualquer hora e no formato correto, dentro deste pilar temos grandes inovações para a exploração e descoberta de dados com o PowerView e o PowerPivot.
    Além de toda a parte de gerenciamento e disseminação dos dados com o SharePoint e agora através de um único modelo semântico de dados temos o BI Semantic Model.
  • Cloud On Your Terms:
    Dentro deste pilar vc encontra a flexibilidade de estender soluções desenvolvidas em casa até datacenter ou cloud e ainda aumentar a sua produtividade com o SQL Server Data Tools que lhe permitirá desenvolver uma única vez e executar em qualquer lugar, vale a pena tb ressaltar a flexibilidade de sincronização dos dados de casa com dados que estaja na nuvem através do Data Sync permitindo trabalhar ambientes híbridos.

Até aqui tranquilo, cheio de novidades que vão sim revolucionar nosso mercado 🙂 agora vamos ver como isso tudo está relacionado com a parte de licenciamento…

O SQL Server 2012 será comercializado em três edições principais:

 

As funcionalidades da antiga edição SQL Server 2008 R2 Datacenter estão disponíveis nesta, todas as features de BI, alta disponibilidade, segurança e performance, é a edição mais parruda, ou seja, tem todas as funcionalidades que o produto possui.

Nova versão do produto contempla todas as features de BI incluindo a rápida descoberta e exploração de dados com o PowerView e o BI Semantic Model.

Funcionalidades básicas de Database e BI, é indicada apenas para cenários departamentais.

***Complementando: A edição WEB tb continua disponível, mais será comercializado somente através de SPLA*(Veremos isso mais pra frente).
As edições Datacenter, Workgroup e Small Business, foram retiradas.

Galera, esse primeiro post foi só pra deixar todo mundo na mesma página 🙂 daqui pra frente acaba o bla bla rsrsr então prepare-se e fica esperto para o próximo.

 Abs e até  lá,

Licenciando o SQL Server 2008 R2 – Part III

QUANDO DEVO USAR O MODELO DE LICENCIAMENTO “POR PROCESSADOR FÍSICO” OU O MODELO “SERVIDOR/CAL”???

Galera é o seguinte, muita gente se confundi justamente nesse momento, então agora fica esperto e com os olhos bem abertos que que vou mandar umas dicas bem legais…..

Vamos lá… o modelo Servidor/Cal,  é aplicado em cenários que vc tem controle absoluto da quantidade de usuários que vão acessar o ambiente, independente  da quantidade de interfaces entre o usuário final e o banco de dados.

Portanto, a arquitetura do ambiente deve ser composto por uma DMZ e autenticação no Firewall/aplicação, com isso é garantido que se tem de fato  o controle de usuários que estão acessando o ambiente.

Já com relação ao modelo “Por processador físico” o mesmo é aplicado em cenários que não é possível controlar a quantidade de usuários como é o caso dos e-commerce’s ou em situações que a quantidade de calls de usuário/dispositivo seja muito grande e o licenciamento dentro do modelo “Por Processador Físico” em termos de custo/benefício seja mais vantajoso do que o modelo “Servidor/Cal”

A seguir algumas considerações de cenários para que vc possa aplicar um ou outro modelo de licenciamento:

O modelo Por Servidor/CAL é apropriado quando:

  • Você pode contar seus usuários/dispositivos.
  • O número de usuários/dispositivos é baixo o suficiente para o custo ser menor que o de usar o modelo Por Processador.
  • Você planeja escalonar horizontalmente o seu uso do SQL Server através do uso de novos servidores com o tempo. (Uma vez compradas as CALs necessárias, você precisa apenas de Licenças de Servidor adicionais para servidores novos.)
  • Usuários acessarem muitos bancos de dados do SQL Server

O modelo Por Processador é apropriado quando:

  • Você não pode ou não quer contar usuários/dispositivos.
  • O número de usuários/dispositivos é alto o suficiente para que o modelo Por Processador seja mais eficiente em termos de custo que o modelo Servidor/CAL .
  • O SQL Server está sendo usado para sites e aplicações voltadas para fora da rede corporativa.

Bom galera é isso ai, ja deu pra esquentar os motores…rsrsr no próximo post vou falar sobre como aplicar essas modalidades de licenciamento para cenários de virtualização….então fica esperto!!!

Abs,
Lívia